1 de mar de 2011

Consumidores do Século XXI - KIDULTS


Há dois dias, por volta de 4 horas da manhã ao sair de uma festa com alguns amigos, fomos a uma praça para andar em um carrossel residente no local. O mais novo entre nós, deveria ter no mínimo 20 anos. Ao me lembrar do grupo “Kidults” me perguntei: "Voltamos a ser crianças por uns minutos, ou nunca deixamos de ser?"


Com a afirmação do grupo “Kidults” no mercado de consumo, os designers, marketeiros e estudiosos de comportamento, focam o olhar nestes potenciais consumidores do século XXI.

O termo Kidult é a junção de kid (criança) e adult (adulto) e foi criado por um grupo de publicitários observadores de tendências nos anos 2000 e disseminado em 2003 no artigo “The Children Who Won't Grow Up”, do sociólogo Frank Furedi.

A partir destas observações, concluiu-se que durante o início do século XXI seria um período voltado para a LEMBRANÇA e NOSTALGIA de tempos onde éramos aparentemente mais felizes: a nossa infância. Este movimento está se estabelecendo pelo mundo, firmando este “novo” grupo de pessoas: os Kidults.

Os Kidults são característicos por preservarem elementos da infância em sua rotina. A nostalgia de um tempo onde não tinham preocupações como atualmente é a explicação fátua para o surgimento desde grupo. Os tempos de infância onde o açodamento diário não fazia parte da rotina é a referência para os adeptos ao movimento.

Sem negar os cargos da vida adulta, os Kidults trazem novas conciliações para os papéis de um adulto, solidificando os novos conceitos de vida do século XXI. Cabe irreverência, criatividade e a permissão do trânsito entre tempos e idades. Pensar em algum refúgio para liberdade e felicidade durante estes tempos de informação em profusão e velocidade da luz é condição primordial.

Contemporâneo, cibernético, alternativo e peculiar, buscam sair dos padrões impostos pela sociedade uniforme onde vivem. Estão longe de serem adultos fantasiados de crianças e negarem as responsabilidades da vida adulta. O que os caracteriza, é agregar à sua rumorosa rotina elementos onde podem se refugiar da correria diária buscando esquivar-se deste hábito comum nos elementos que os remetem a momentos mais venturosos.

Este grupo compreende todos que cultivam hábitos nada maduros, como coligir brinquedos, passar horas jogando Playstation, vestir-se de maneira pueril ou simplesmente por escolher viver a vida de forma mais feliz, sem se preocupar excessivamente com contextos que não demandam tal dedicação... Você também sofre desse mal (BEM)? Crescer pra quê?

Nenhum comentário:

Postar um comentário